1. O que é ar comprimido?

    Ar comprimido é o ar atmosférico comprimido. As máquinas usadas para geração de ar comprimido são chamadas de compressores.

  2. Quais são as vantagens do ar comprimido?

    O ar está disponível em qualquer lugar em qualquer quantidade. O ar comprimido como meio de energia não precisa ser trocado. O ar comprimido não emite nenhum poluente no caso de defeito na tubulação.

  3. Qual faixa de pressão é comumente usada para ferramentas pneumáticas?

    Para ferramentas pneumáticas de uso profissional e industrial, a faixa de pressão até 10 bar é a mais usual.

  4. O que é um compressor de parafuso?

    A carcaça do compressor de parafuso contém dois fusos helicoidais que, girando em sentidos opostos, comprimem continuamente o ar na câmara de pressão. No seu curso, através do compressor, o ar aspirado é comprimido na câmara de volume decrescente até a pressão final preestabelecida no projeto do compressor. O sistema que contém os dois fusos helicoidais e a câmara de pressão também é conhecida por unidade compressora.

  5. Quais são as características de um compressor de parafuso?

    As características típicas do compressor de parafuso são:
    • Fluxo contínuo de ar
    • Baixa temperatura de compressão final
    • Baixa geração de ruído
    • Permite a construção de múltiplos estágios
    • Adequado para grandes volumes de consumo
    Os compressores de parafuso têm prevalecido nas aplicações que requerem grandes volumes de ar de forma contínua.

  6. Quais são os diferentes sistemas de regulagem de um compressor a parafuso?

    Os sistemas de regulagem mais comuns são os chamados Tudo-Nada, Modulante e por Válvula Espiral.Tudo-Nada: o compressor trabalha a plena carga ou a vácuo, em função do consumo de ar. A pressão varia entre um mínimo e um máximo. Neste sistema deve ser usado tanque pulmão.

    Modulador (para aquelas aplicações que precisem de pressão constante): o compressor modula o volume de ar entregue entre 100% e 40 % de sua capacidade nominal em função da demanda, mantendo-se a pressão constante. Abaixo de 40 % de sua capacidade nominal, a máquina passa automaticamente ao modo tudo-nada. Não é necessário o uso de tanque pulmão.

    Válvula: mediante a abertura progressiva de válvulas que conectam a câmara de compressão com a admissão do compressor, permite-se que parte do ar aspirado volte à zona de sucção antes de ser comprimido. Desta forma se consegue uma importante economia na energia consumida.

  7. Como é determinada a potência do compressor?

    Dentre outros fatores, a potência do compressor é determinada pelos seguintes critérios:
    • Pressão máxima
    • Volume fornecido
    • Tipo de compressor
    • Número de compressores (quando mais de um compressor em linha)
    • Tamanho do reservatório de ar (se houver tanque pulmão após o compressor)

  8. Que influência tem a perda de carga no rendimento da instalação?

    Uma perda de carga elevada diminui o rendimento da instalação e a torna ineficiente. A pressão na saída do compressor deverá ser a necessária para compensar essa perda de carga e chegar aos consumos com a pressão necessária. O simples fato de elevar 1kg/cm2 a pressão no compressor, implica um consumo de energia adicional de aproximadamente 7,5%. Portanto, é imprescindível que a rede de ar esteja corretamente dimensionada a fim de obter uma instalação o mais eficiente possível.

  9. Com quantos martelos pneumáticos o motocompressor 185Q pode trabalhar?

    Um compressor 185Q pode trabalhar com dois martelos simultaneamente em um regime de 75% do nominal, já que o compressor fornece um volume de 5,2 m3/min. e cada martelo quebra-pavimentos pneumático consome entre 1,8 m3/min e 2,0 m3/min de ar.

  10. O que significa pressão de trabalho?

    Pressão de trabalho é a pressão mínima que precisa estar disponível para os equipamentos conectados ao compressor. Possíveis perdas por vazamentos e perdas de fluxo devem ser levadas em consideração.

  11. É possível trabalhar a uma pressão superior a 7 Kg / cm2?

    A Solaris possui compressores portáteis capazes de trabalhar a pressões de 10kg/cm2, 12 kg/cm2 e até 24 kg/cm2.

  12. É possível obter ar para instrumentos de um compressor portátil?

    Os compressores portáteis Sullair permitem obter ar para instrumentos graças ao desenvolvimento de um sistema denominado AF. Os equipamentos que contam com este sistema possuem em seu interior um pós-esfriador com armadilha de água e drenagem, e um sistema de filtragem de alta eficiência para remover contaminantes, podendo obter como consequência partículas de diâmetro menor que 0,01 mm e um conteúdo de óleo menor a 0,01 ppm (partes por milhão). Dependendo das condições do ambiente é possível reter até 80% da umidade do ar.

  13. Quais tipos de ferramentas pneumáticas são mais comuns?

    Elas podem ser agrupadas da seguinte forma:
    • Ferramentas de bico (bicos de sopro, pintura e jato de areia)
    • Ferramentas de impacto (grampeador, pregador, martelo demolidor, martelo rebitador, martelo perfurador)
    • Ferramentas rotativas (furadeiras, parafusadeiras, esmerilhadeiras)
    • Ferramentas especiais (tesouras pneumáticas, tesouras-punção e serras)<*p>

  14. Como se determina o consumo das ferramentas pneumáticas?

    Pela soma de todas as ferramentas individuais de acordo com as especificações técnicas do fabricante, levando em conta os fatores de correção.

  15. Quais cuidados deve-se ter com ar comprimido?

    • Nunca utilizá-lo para limpeza de poeira ou secagem de roupas. Você pode conseguir ou não tirar a poeira, mas há a chance de parte dela ser injetada em sua pele.
    • Sempre que você usar ar comprimido utilize proteção para os olhos e as roupas apropriadas exigidas pelo trabalho em questão.
    • Antes de você abrir uma válvula para uma mangueira de ar, verifique cuidadosamente se a mangueira está em boas condições, livre de cortes e abrasões. Verifique se o gatilho ou válvula de operação na outra extremidade estão fechados.
    • Verifique a trajetória da mangueira para ver se ela está protegida de possíveis danos e se não representa riscos de tropeções.
    • Certifique-se de que a extremidade da ferramenta pneumática esteja presa, de forma a não se movimentar quando o ar comprimido entrar na mangueira.
    • Sempre que você precisar trocar a ferramenta na extremidade da mangueira certifique-se de que a válvula esteja fechada no lado de suprimento do acoplamento.
    • Nunca dobre uma mangueira.
    • Nunca use ar comprimido para fazer brincadeiras com colegas. Uma pequena quantidade de ar comprimido pode cegar alguém, estourar seu tímpano ou causar ferimentos dolorosos.

  16. Por que o ar comprimido precisa ser filtrado?

    O ar aspirado contém sujeira e poeira. Dependendo da aplicação o ar precisa estar dentro de um teor permitido de partículas de óleo (oriundas da lubrificação do compressor), umidade e poeira (oriundas do ar atmosférico). A filtragem remove parte desses componentes do ar.

  17. Há alguma maneira de classificar a qualidade do ar comprimido?

    Sim. O ar comprimido pode ser classificado conforme a norma ISO 8573-1, a qual estabelece os seguintes patamares de água, poeira e óleo permissíveis.

  18. Qual é a importância de usar um sistema de filtragem para ar comprimido?

    O ar atmosférico é portador de vapor de água, aerossóis de lubrificantes, gases resultantes da combustão, pólen, bactérias e outras partículas. 80% das mesmas têm um diâmetro inferior a 2 mm. Este dado é mais que significativo se levarmos em consideração que a capacidade filtrante dos filtros de admissão de ar dos compressores está sempre acima dos 5 mm. Além dos elementos mencionados, o ar que sai do compressor é portador de partículas de desgaste do mesmo, grande parte das quais não são retidas pelo filtro separador. Todos estes elementos contaminam o ar, obturam válvulas e filtros, produzem perdas de carga em encanamentos e diminuem a qualidade do produto final, ocasionando também custosas interrupções e perdas de produtividade que podem ser evitadas com o uso de sistemas de filtragem.

  19. Que consequências tem o uso de ar comprimido de baixa qualidade?

    Utilizar ar de má qualidade em seu sistema terá como consequência despesas extras em interrupções de fábrica não desejadas, consertos, manutenção e substituição prematura de peças. Além da consequente deterioração de suas máquinas, seu pessoal de manutenção deverá ocupar parte de seu tempo purgando filtros, separadores e válvulas.
    A água transportada no ar que o compressor gera serve como meio de transporte para outros contaminantes causando também perdas de carga, oxidação, escamas de corrosão e todo tipo de problemas em encanamentos, válvulas e equipamentos acionados com ar. Tudo isto se traduz em importantes extracustos, uma diminuição da vida útil da rede, queda de eficiência da fábrica em seu conjunto e um maior consumo de energia elétrica.

  20. Que soluções a Sullair dá para os problemas de qualidade de ar?

    A fim de fornecer à sua fábrica ar de excelente qualidade, a SULLAIR desenvolveu Filtros e Secadores como complemento de sua linha de compressores. Os Filtros SULLAIR permitem obter um ar muito mais limpo que o que você respira. Dispomos de sistemas de filtragem (em opções de 1 a 3 etapas) para a eliminação de contaminantes atmosféricos, partículas de desgaste do compressor, óleo e odores, e para a retenção e drenagem da água que está em fase líquida.De acordo com sua capacidade filtrante são classificados em:

    Micrônicos: modelos MPF.

    Submicrônicos: modelos MPH (requerem a anteposição de um MPF).

    De carvão ativado: modelos MPC (requerem a anteposição de um MPF+MPH).

    Para os problemas de água em fase vapor presente nos encanamentos, a SULLAIR desenvolveu uma linha de secadores por Refrigeração ou por Adsorção, dependendo da escolha de um ou outro de variáveis, tais como temperatura, qualidade e volume de ar necessário.

  21. O que acontece com a umidade quando o ar atmosférico é comprimido?

    Quando o ar atmosférico entra no compressor é submetido à pressão (de 4 a 12 kg/cm2 normalmente). A essas pressões, a capacidade de porte de umidade na fase vapor diminui, o que provoca a aparição de condensado. A quantidade de água será função da umidade relativa do ar aspirado, de sua temperatura, da pressão de compressão e do volume de ar fornecido. Deste volume de líquido só dois terços de partes são retidos e drenados pelo compressor, enquanto que a umidade restante se incorpora ao fluxo de ar comprimido entregue.

  22. Como se resolve o problema da água nos encanamentos?

    O problema de água nos encanamentos se resolve secando o ar, basicamente através de dois sistemas:
    Por refrigeração: diminui-se a temperatura do ar até 2° / 4°C por troca de calor com um gás refrigerante em evaporação, eliminando a água condensada mediante uma purga automática, e enviando-o depois à linha a uma temperatura intermediária entre a de secagem e a de entrada. Para que este sistema seja realmente eficaz é preciso que o processo de esfriamento atinja uma temperatura inferior à que puder haver em qualquer ponto da rede.
    Por adsorção: o ar é conduzido através de torres com material altamente higroscópico em ciclos alternativos. A secagem possui duas torres com alumina, a que adsorve a umidade em sua ampla superfície específica, proporcionando um ponto de condensação equivalente a -40° C.

  23. Como defino se meu sistema de secagem de ar será por Refrigeração ou por Adsorção?

    A escolha do sistema de secagem depende dos seguintes fatores:Temperatura à qual pode estar o encanamento de ar. Se em algum ponto da mesma houver temperaturas inferiores aos 2°C (seja porque há trechos à intempérie ou porque fica em uma sala não isolada), o sistema que assegura a secagem do ar é o de adsorção.

    Qualidade de ar: com o sistema de refrigeração se consegue normalmente uma umidade relativa de entre 30 e 50%, enquanto que com o de adsorção este índice está abaixo de 1%.

    Quantidade de ar necessário: devido a que o secador por adsorção se regenera com a recirculação de ar seco, isto faz com que aproximadamente 15 % do volume gerado sejam utilizados pelo mesmo equipamento, de maneira que o volume final entregue à linha é cerca de 85% do que emite o compressor.

    As três variáveis mencionadas, junto com os preços de cada equipamento, serão os dados as serem levados em consideração em uma avaliação técnico-econômica destinada a definir a escolha da alternativa ideal.