TVS – TOTAL VALUE OF SERVICE (VALOR TOTAL DOS SERVIÇOS)

10/05/2017

Por Arthur Lavieri - Diretor - Presidente

Em tempos de crise, ainda chama a atenção a forma como muitas contratações de serviços são feitas com foco exclusivo no “item principal” e sem atenção ao ciclo completo. Abordando especificamente o mercado de aluguel de máquinas, muitos contratantes focam exclusivamente no preço do aluguel específico, sem se preocupar com as atividades de suporte que fazem a diferença para a execução produtiva dos serviços a que se destina aquela máquina. Não raro escuto casos sobre contratantes que celebram o peço que conseguiram e lamentam o resultado que obtiveram.

Analisar o VALOR TOTAL dos serviços ajuda usuários e contratantes dos serviços a pesar as vantagens e riscos diretos e indiretos de várias propostas comparáveis.

 

De uma forma simples:

 

TVS = C + S + OM +D + RE

 

TVS:   Valor Total do Serviço

C:        Valor da Contratação

S:        Valor dos Serviços Iniciais de Suporte

OM:    Valor dos Serviços (e disponibilidade) de Suporte à Manutenção e/ou Operação

D:        Valor das atividades de Desmobilização ou extensão de contrato (flexibilidade, documentação, etc)

RE:     Valor dos RISCOS EVITADOS

 

Pode-se fazer uma analogia muito simples com o segmento de aluguéis de carros. Como consumidores, encontramos inúmeras ofertas de valores de diárias para carros dos mais variados modelos e tipos. Note que são poucos os consumidores que avaliam e valorizam serviços acessórios ou essenciais agregados ao “serviço principal”. Como exemplo:

            - Oferta de acessórios como GPS, cadeira de bebê, etc

            - Seguros obrigatórios e estendidos

            - Abastecimento incluído com a devolução do veículo a preços já acordados

            - Documentação organizada e entregue para evitar problemas em fiscalização durante viagens

            - Revisões confiáveis para evitar problemas

            - Carro reserva ou suporte de guincho em caso de pane

            - Apoio do atendente na retirada do carro para ensinar como operar os sistemas diferentes de um carro que o consumidor não conhece, etc.

Existem inúmeros outros serviços que podem ser agregados, cobrados ou não. Como consumidor, eu nunca escolho a menor diária. Avalio os benefícios oferecidos e balizo as propostas, obviamente tendo a diária como indicador importante.

Ao se alugar uma máquina para trabalho em altura (como plataformas aéreas), ou manipulação de carga (como manipuladores telescópicos), ou geradores de energia e até compressores de ar, a lógica é praticamente a mesma, só que as implicações são muito mais graves. Existem perguntas que o usuário ou contratante precisa fazer e que se revertem em economias importantes:

- Como pode ser feita a contratação? Vendas diretas? Telefone? Existe um 0800? Web Chat?

- Já existe suporte por aplicativos e que agilizam contatos entre usuário e empresa?

- A máquina tem suas revisões e manutenções em dia? Isso está documentado? No caso de uma falha, como é o suporte e eventual reposição?

- A empresa oferece todos os documentos necessários? No caso de uma fiscalização, existem riscos?

- A empresa tem técnicos treinados e preparados? Tem oficinas e estoque de peças? Tem uma força de apoio técnico móvel?

- Treinamento é oferecido? Em que nível? É simplesmente uma demonstração da máquina em 15 minutos durante a entrega ou um treinamento de verdade?

- A empresa dá suporte às boas práticas em segurança do trabalho aos seus clientes em campo? Como?

- A documentação de entrega e retirada é clara e didática? Existem riscos por receber algo sem todas as informações? A documentação de devolução é clara e evita disputas depois do contrato?

Neste segmento, contratam-se máquinas de aplicação crítica (trabalho em altura, manipulação de carga, energia, ar pressurizado) e raramente o usuário se preocupa com a estrutura e os serviços que estão por trás. Um contrassenso.

Isso nos faz chegar ao ponto que menos recebe atenção de usuários, compradores e contratantes: qual é o valor dos riscos evitados por uma contratação correta? Para colocar em perspectiva, o valor do aluguel de uma máquina especial raramente ultrapassa 2% do valor de uma obra ou 5% de um projeto de manutenção predial ou industrial. Desta forma, é necessário perguntar:

- Qual é o custo de parada de uma máquina? Como isso impacta equipes e custos correntes da obra e projeto? A depender do tamanho e tipo de equipe, 1 dia de parada pode superar 1 mês de aluguel de máquina facilmente.

- No caso de uma fiscalização, quais são os riscos de multa e paralizações por não ter documentação correta e treinamentos certificados?

- É impossível quantificar os custos de acidentes envolvendo vidas humanas, mas deve-se refletir sobre o status das manutenções e documentação técnica das máquinas. Uma falha pode levar a danos materiais e humanos de enormes proporções. Há que se notar que mais de 70 acidentes fatais foram reportados em 2015 sob a égide do trabalho em altura. Ou seja, a triste realidade é muito mais grave que isso, pois a vasta maioria não reporta!

Em resumo: foque no TVS - Valor Total dos Serviços e avalie custos e riscos evitados com o criticismo que o tema merece. Vidas humanas, integridade dos bens materiais e resultados do projeto agradecem.